Hoje, o meu coração acordou meio forte,
Apaixonado e com esperança por um dia de sorte
Porque o tempo não pára e, sem mais demoras,
A paixão quando aparece também não tem horas.

Aperta-me. Abraça-me. Segura-me com força e não me deixes voar sem rumo.

Onde estás? O vento está forte e não me aguento. Sinto-me volátil e sem abrigo, não quero nada perder os sentidos. Volta, dá-me a mão e puxa-me para ao pé de ti. Estou a ir e não sei voltar. Não me encontro em lugar nenhum, mas sei que aqui não quero ficar. O sol brilha, mas só vejo o escuro, o vento sopra, mas perdi o norte. A estrela polar, outrora fiel indicador, desaparece sempre que a procuro, e eu desesperado por saber para que lado me virar.

Dá-me luz, dá-me um caminho, não quero mais andar à deriva.

Fica comigo. Segura-me outra vez. Abraça-me só mais uma vez e não me largues mais. Se te amar, amas-me também?