Por vezes, as ideias vêm ter comigo, mas hoje não é assim. Hoje, o tema é da atualidade. Domingo, dia de festa, dia da Taça de Portugal, um dia cheio de acontecimento comentáveis a todos os níveis. Mas é aqui que eu separo as águas porque quero comentar o que todos estão a ignorar.

Vou falar apenas sobre aquele pequeno rapaz; Jiménez, que celebrou um golo com uma máscara na cara. O que é que isso tem de mal? Nada! Até achei que foi uma manobra de marketing espetacular (e eu gosto muito destas coisas). Mas onde é que ele tinha a máscara guardada?

Eu respondo. Nos calções. Portanto, ele andou a correr durante 48 minutos, marcou um golo e tirou uma máscara que andou no rossa-rossa com as pernas e com as cuecas durante aquele tempo todo. Eu não sou de intrigas, mas quem corre mais de meia hora já fica a suar bastante das virilhas, não é?

Futebol, um desporto onde jogadores decidem esfregar o seu próprio suor na cara quando se sentem felizes. E se isto pega moda? Será que vamos ter alguém a tirar um segundo par de cuecas para pôr na cabeça? Eu acho que, à partida, já é uma ideia vencedora!

Em resumo, tudo isto foi uma jogada de marketing brutal e foi o mais interessante que aconteceu no jogo todo. Ainda assim, acho que o Jiménez devia pedir desculpa àquele senhor que parecia o vilão do primeiro filme do Homem Aranha que decide ir surfar umas nuvens para depois entregar a bola ao árbitro. Bela maneira de roubar as atenções!

Anúncios