Está um frio de rachar
E chegou o nevoeiro.
Lá vou eu ter de comprar
Mais um batom do cieiro.

À janela do meu quarto
A brisa é bem fresquinha.
Se eu não sair da cama,
Não se me arrepia a espinha.

Nunca pensei nesta sorte,
De ter comprado tanta meia.
São grossas, são quentinhas,
E já tenho uma gaveta cheia.

Quem conseguir esconder o frio
Devia ganhar uma medalha.
Mas depois vou ter saudades
Dos meus casacos de malha.