Ter um feriado durante a semana é sinónimo de felicidade para uma grande parte da população. Normalmente, para quem trabalha, as opções são duas: ou não se trabalha, ou recebe-se a dobrar. Qualquer uma das opções é positiva, mas talvez a palavra “feriado” não seja a melhor nomenclatura para descrever tal felicidade.

“Feriado” é uma palavra parecida com férias e, quem não está a usufruir desse maravilhoso (e curto) período de tempo, fica um pouco infeliz. O tema “férias” é sempre muito entusiasmante, mas um pouco triste porque, independentemente de faltarem meses, semanas, ou apenas poucos dias, o primeiro dia de férias demora sempre uma eternidade a chegar. Se o problema é a palavra, que tal mudar?

Quando o feriado é parte do fim de semana, ninguém repara, mas fica bem pertinho toda a gente fala em “fim de semana grande”. E quando é ao meio da semana, o que se faz?

“Feliz Sabingo!” é o que direi para todas as pessoas em véspera dos feriados que não prolongam fins de semana. A justificação é simples. Um feriado, essas estupendas 24 horas, vivem-se com a intensidade de um fim de semana inteiro. O feriado, para além de tudo o que tem de bom, confunde o nosso corpo porque, pelo menos no meu caso, até à hora de almoço sinto-me num sábado e, a partir da hora em que a minha barriga é feliz, começa a ser domingo. É como se o meu corpo sentisse o fim de semana de forma altamente acelerada. E ´r por isto que quero propôr o “Sabingo”!

Basicamente, é tudo igual, nada vai mudar. Um feriado é sempre um feriado mas, pensem bem, não seria muito mais engraçado que se chamasse “Sabingo”? Experimentem dizer em voz alta e vão ver. A palavra é muito mais engraçada e até parece que saiu do circo. Bom, bom, era  que 2017 fosse um ano cheio  de “Sabingos”!