Ai, o futebol. Tanta paixão, tanta loucura, tanta coisa por explicar. Notícias, reportagens, livros, debates e mais debates, comentadores, treinadores de bancada, existe de tudo um pouco quando o assunto é futebol. Contudo, existe um tema sobre o qual ninguém fala. Vou já quebrar o gelo!

Sempre que há uma substituição, o jogador que sai, vai cumprimentar o treinador e leva uma palmadinha no rabo. Porquê? No meu tempo, quando era uma pequena criança, esse tipo de tratamento era um castigo. Uma palmada era um corretivo para nos fazer aprender uma lição. No futebol não é nada assim! A palmadinha significa “boa rapaz, jogaste bem!” Ou mesmo que jogue mal, aquilo parece um gesto carinhoso numa zona que deve estar extremamente suada. Não percebo este fetiche pouco higiénico.

O adepto de futebol, dentro do seu cliché mais puro, é um macho que bebe cervejas, arrota com força por cima e por baixo, e acompanha com tremoços. Será que este fiel adepto macho aprecia este comportamento? Parece-me muito pouco másculo. Será que os jogadores se sentem desconfortáveis com a palmadinha e estão a sofrer em silêncio até agora? Ou será que gostam e se sentem confortáveis? Cada um sabe de si.

Tantas perguntas que talvez não sejam respondidas. Uma coisa é certa, já não me importo tanto de ter nascido sem o talento de um craque da bola.