Felizmente para mim, já assisti a quase uma dezena de concertos dos Xutos & Pontapés. A palavra “dezena” não aparece porque já não sei ao certo quantos concertos vi, mas sim porque parecem muitos mais do que se disser 7. “Quase uma dezena” parece um número indefinido, muito maior que um 7. Enfim, já me estou a perder.

Os Xutos são uma banda que consegue ter clássicos atrás de clássicos, reinventam-se sempre de forma interessante. Gostos são gostos e eu gosto. Mas o mais impressionante não é isto! O mais impressionante é ver um dos membros da banda durante um concerto: o João Cabeleira. E não tem nada a ver com o facto de ele ser casado, e ter um filho, com uma stripper. Cada um sabe de si e eu respeito todos.

O mais impressionante é a postura durante os concertos. Está sempre no mesmo sítio, num dos lados do palco, não canta, não fala com o público. Só toca, brilhantemente, guitarra. Sempre com um toque pessoal, faz os seus solos, e dá o seu espectáculo. Mas, para além de guitarrista, João Cabeleireira é mágico!

Sempre que olhava para ele, em qualquer um dos concertos, ele estava a fumar o seu cigarrinho. Portanto, se ele toca guitarra com os dedos não os pode usar para fumar, certo? Sim, e é impressionante o facto de ele estar a tocar, música atrás de música, sempre com o cigarro na pontinha da boca. Ou seja, o fumo está sempre a ir para os olhos. Facto que me leve a concluir o seguinte: João Cabeleira tem os olhos mais fortes e insensíveis de sempre! Ou, e se isto for verdade é uma oportunidade fantástica de negócio, tem umas lentes de contacto anti-fumo. Se este produto existe, vamos todos vê-lo a ser (quase) impingido pela RTP na publicidade que dá depois de almoço. Nada contra, são anúncios particularmente engraçados.

Para além desta demonstração incrível de força ocular, João Cabeleira também consegue criar postos de trabalho. Ele tem um assistente que vem ao palco, muitas vezes, trazer-lhe uma guitarra diferente. Mas, se eu o vejo sempre de cigarro na boca e nunca com um cigarro na mão, será que ele tem um assistente que lhe leva o cigarro à boca? Será que ele tem um assistente só para acender e apagar o cigarro? Ou será que esse assistente acumula funções? Se isto for verdade (e talvez exista esta profissão no mundo), João Cabeleira tem um “Cigarreiro Pessoal”.